3 de out. de 2021

SOBRE O CADUCEU (e um aspecto pouco conhecido)

por Jonas Taucci (nota abaixo)
Este é o Diagrama 15 do Conceito Rosacruz do Cosmos.

A serpente negra representa o caminho involutivo que a humanidade percorreu através dos Períodos de Saturno, Solar, Lunar e a primeira metade do Período Terrestre denominada Metade Marciana.

A serpente branca indica a tortuosa rota da evolução que a maioria da humanidade espera percorrer, desde a segunda metade do Período Terrestre chamada Metade Mercurial, e os subsequentes Períodos de Júpiter, Vênus e Vulcano.

A Linha reta e vertical, no centro, personifica o Caminho da Iniciação que habilita o aspirante que o percorrer, realizar em poucas vidas o que para o restante da humanidade significará Épocas e Períodos.

Nos encontramos no início do caminho ascendente (Metade Mercurial), e durante as próximas três e meia revoluções do Período Terrestre, os Senhores de Mercúrio auxiliará enfaticamente aos que se dispuserem a trilhar a Senda da Iniciação, daí esta denominação (Metade Mercurial).

Não é um caminho fácil.

Há que se sentir e praticar profundamente o amor impessoal para com a humanidade; enquanto estudante (aquisição de conhecimentos), existe o perigo da formação de um forte e egoístico intelecto, porém a iniciação requer a sabedoria temperada com o amor. A vinda de Cristo, aproximadamente a dois mil anos, com sua Sublime Missão, definitivamente facultou para a humanidade o árduo, porém mais curto, caminho para a iniciação (“E eis que o véu do Templo rasgou-se em dois, de alto a baixo...” – Mateus 27:51, tão bem demonstrado no Diagrama acima).

Devido a isto, ainda que algumas das iniciações menores foram dadas a avançados lemurianos e atlantes no passado, não sucedeu o mesmo com as Iniciações Maiores; houve a necessidade de se aguardar o excelso EVANGELHO DO CRISTO.
Se observarmos atentamente o Caduceu no Diagrama 15, veremos que estamos deixando para trás o nadir da materialidade. A tendência a seguir adiante, para cima; as condições são favoráveis, pois ainda que muito tempo tenha transcorrido desde o início da Metade Mercurial, são como poucos segundos em termos de desenvolvimento espiritual. Os Senhores de Mercúrio são espíritos que pertencem a nossa onda de vida e estão incomensuravelmente acima de nosso atual estágio evolutivo.

Há um outro aspecto no Diagrama 15, pouco conhecido do aspirante rosacruz: sua semelhança com o caduceu ou bastão de Esculápio na mitologia grega ou Asclépio na mitologia romana. Representavam (também) o deus da cura.

A Medicina e a OMS (Organização Mundial da Saúde) adotam este caduceu como parte de seu símbolo.

Também no Antigo Testamento, livro de Números (21:08), há uma passagem que ilustra e associa o formato do Diagrama 15 do Conceito Rosacruz do Cosmos com a cura:

“Disse o Senhor a Moisés: faze uma serpente abrasadora, põe-na sobre uma haste, e será que todo mordido que a mirar viverá”.
Mas, qual a relação da iniciação com a cura?

Ao iniciado abre-se um enorme leque de meritórias conquistas espirituais, algumas delas são o perfeito equilíbrio interno, permitindo que a força criadora flua igualmente na cabeça e coração, de modo que seu intelecto esteja em consonância com a compaixão pela humanidade. Possui um corpo-alma grande e poderoso, além de ser um clarividente positivo que funciona à sua vontade nos mundos invisíveis. Tem a faculdade sobre o uso das Leis da Natureza e pode usar a Palavra Criadora, que foi perdida pela humanidade em seu descenso para a materialidade.

O iniciado possui também a faculdade de levar a CURA aos enfermos.

Estes formidáveis itens, parecem impossíveis de serem alcançados, porém os ENSINAMENTOS DA SABEDORIA OCIDENTAL, nos transmite que há muito a ser conquistado em termos de evolução espiritual pela humanidade como um todo (serpente branca, caminho mais longo), e por cada um de nós individualmente (caminho da iniciação, mais curto).
Direcionemos – sincera e devotamente – ao estreito Caminho da Iniciação, simbolizado pelo Caduceu, por meio do qual poderemos conquistar não somente um benefício evolutivo maior para cada um de nós, mas também – e principalmente - sermos mais úteis para com nossos semelhantes.

Nota: Palestra realizada nos Centros Rosacruzes de Santo André (numa quarta-feira) e São Paulo (quarta-feira seguinte) de maio, ano 1.988, baseada na Lição Mensal do Estudante – Sede Mundial – Oceanside, Junho de 1.972 – O SIGNIFICADO DO CADUCEU.

Entre as décadas de 50 e início dos 90, ambos Centros Rosacruzes ministravam suas palestras em sincronismo com o dia da semana/assunto/astrologia:

- Domingos (Cristianismo Rosacruz, Coração, signo de Léo, Sol).
- Quartas-feiras (Filosofia Rosacruz, Mente, signos de Gemini e Virgo, Mercúrio).

SUGESTÕES PARA LEITURA

 - Filosofia Rosacruz em Perguntas e Respostas, Volume II -  perguntas 68 (aqui), 69 (aqui), 70 (aqui) e 71 (aqui)  Todas referentes a Iniciação

- Conceito Rosacruz do Cosmos, Cap. XVI -  Desenvolvimento Futuro e Iniciação (veja aqui) 

Ritual Rosacruz do Serviço de Cura (veja aqui) 

- Zanoni, de Bulwer Lytton

- Os Caminhos de Sally Trench,  sendo ela a própria autora deste belo livro 

VEJA TAMBÉM: PANACÉIA ...

Origem e Significado da Palavra Panaceia

Existem algumas palavras-chave nos ensinamentos da Sabedoria Ocidental, de função bem definida em relação às aspirações do Mundo Ocidental, tais como: panaceia, cosmos, arquétipo, Eclésia, epigênese, hierofante, neófito, mistério, misticismo, etc.

A filosofia e mitologia grega, pré-cristã, criaram estas palavras para atender ao significado mais profundo de certas atividades e realizações em suas escolas de mistérios, durante um dos períodos mais gloriosos da História humana — que fora a Idade Áurea. Os criadores destes termos simbólicos foram: Sócrates, Platão, Aristóteles, Pitágoras, Hipócrates e outros iluminados da Grécia antiga.

O estudante da Filosofia Rosacruz está familiarizado com estes vocábulos, mas frequentemente, passa por cima do significado mais profundo. Ao compulsar o sentido etimológico, podemos desvelar significados mais sutis, convertendo-os em símbolos vivos e imagens pulsantes do pensamento ocidental.

Deles, o que, talvez, encerre maior significado é PANACEIA.

Na Filosofia Rosacruz há três pedras angulares: curar, servir e propagar. Sobre elas os Irmãos Maiores edificaram seu trabalho em benefício do mundo.

Ora, panaceia exprime a atividade de cura. Em seu simbolismo, panaceia expressa aspiração e desvelo da eternidade, no desenvolvimento da arte de curar pelo método Rosacruz.

O dicionário Webster define panaceia como um remédio universal — pois pode curar todas as enfermidades.

No grego, PANA'KEIAS é um vocábulo composto: Pana (todo ou pão) e o verbo akeistar (curar). Literalmente: o pão da cura, ou seja, o remédio com a fórmula para tudo curar, física, moral ou mentalmente.

Na mitologia grega, Panaceia e Higéia (saúde) eram irmãs, de Asklépios (em latim Asculapius, em português Esculápio) — o deus da cura. Por sua vez, Esculápio era filho de Apolo (Sol, vitalidade, luz) — o grande Médico.
Desde tempos imemoriais havia templos de cura. Na Grécia eram dedicados a Asklépios, o deus da Cura. Seus sacerdotes compunham grupos de curadores especializados, devotos e espirituais. Praticavam a medicina em um sagrado recinto de cura (asklepión).

Sob configurações estelares favoráveis (pois aliavam os conhecimentos de astrologia), os enfermos eram levados a este lugar santo (asklepión) onde, em cerimônia religiosa, tomavam tabletes, espécie de hóstia sagrada deixada pelos ex-pacientes agradecidos, após sua cura na elevação de sua fé ao deus da Cura.

Depois deste serviço religioso os enfermos eram deixados no recinto sagrado a dormir. Durante o sono, os sacerdotes lhes ministravam os remédios — a panaceia — por meios conjuros (ritual especial) e encantamento, regidos por Higéia e Asklépios. Por este meio de cura, muitos pacientes, ao despertar na manhã seguinte, estavam completamente curados, tal como relatam os manuscritos da época.

Esse ritual é tecnicamente conhecido como "incubação" (em grego Epoas, que quer dizer empolar ou deitar-se sobre ovos).

Há grande semelhança entre o templo grego de cura (asklepión) e a arte de cura Rosacruz. Os dois empregam o método de ajuda espiritual, da Escola Ocidental de Mistérios; ambos ajudam a humanidade alcançar a saúde do corpo, pela combinação da panaceia espiritual e meios físicos. É a ação do Grande Curador, aproveitada pelos conhecimentos de astroterapia e auxiliada pela dieta alimentar adequada, exercícios, preparo mental e emocional etc...

Quando aprofundamos o significado de Higéia (saúde) e astroterapia, do ponto de vista rosacruciano, compreendemos porque Max Heindel definiu: "há saúde física apenas quando os órgãos trabalham em perfeita ordem e harmonia". Quando um órgão diminui sua função provoca desequilíbrio na harmonia do conjunto e surge a enfermidade."

A enfermidade se prolonga por causa dos abusos e ignorância. Se o paciente sabe aproveitar as configurações estelares favoráveis e colabora com o departamento de cura, cumprindo sinceramente sua parte então a panaceia lhe é aplicada, coroando seus esforços de viver segundo as leis da natureza. Diz Max Heindel:
Em que consiste essa panaceia? Como pode ela nos beneficiar?

Max Heindel nos relata o que pôde constatar, quando visitou pela primeira vez o Centro espiritual da Ordem Rosacruz: "É uma visão inolvidável! Ao penetrar no Templo, vi três esferas suspensas no teto, no meio do salão. Na esfera superior observei um pequeno recipiente com vários pacotes cheios de substância do Espírito Universal. Os Irmãos sentaram-se numa certa posição enquanto a música preparava o ambiente. Inesperadamente as três esferas começaram a brilhar com as três cores primárias: a de cima, azul; a do meio, amarelo; a de baixo, vermelho. Durante esse encantamento cheio de beleza, reparei que o recipiente dos pacotes se iluminou de uma essência espiritual. Vi como os Irmãos tomaram essa substância, aplicando-a aos pacientes adormecidos, à medida que os visitavam à noite". "Quanto ao efeito da panaceia, é maravilhoso! — Continua Max Heindel — Quando aquela substância dos pacotes (panaceia) era aplicada, irradiava-se pelo corpo do paciente como uma luz mágica, destruindo toda matéria cristalizada que cobria os centros espirituais do corpo enfermo. A cura era instantânea e o paciente despertava são na manhã seguinte.

A Astroterapia, à parte do Astrodiagnóstico e Astroprognóstico, tem sido de grande importância na medicina de todos os tempos. Pelas progressões e trânsitos dos astros, aplicados a cada enfermo, o médico pode chegar a conclusões importantes e prevenir crises que se anunciam. Talvez não haja ciência mais estreitamente unida à medicina, que a Astroterapia.

O Astro diagnóstico, por exemplo, tem sido de uma importância capital na arte de curar. Era o método de diagnóstico ao médico da antiguidade e constitui um auxiliar precioso aos médicos modernos. No Departamento de Cura da Fraternidade Rosacruz é o método básico de diagnóstico. Max Heindel considerava a astrologia mais importante que a clarividência, porque, baseada na lei Cósmica, é muito mais exata e ampla.

Voltando à palavra panaceia observemos que ela esteve presente no juramento hipocrático, que se estendeu por quase vinte e cinco séculos como guia de ética na profissão médica. Tal juramento se inicia com esta invocação: "Juro, pelo médico Apoio, por Asklépios, por Higéia e por Panaceia, etc. etc. "Hipócrates viveu no século quinto A.C. e é conhecido como o "Pai da Medicina". Era um Ego avançado, devotado a arte de curar, com grande amor à humanidade. Ele combinava os esforços e contribuições de médicos e físicos com poderes espirituais em suas práticas de cura, porque sabia que a enfermidade é, ao mesmo tempo, física e mental. Daí tratar do paciente como um todo: corpo, corpo, mente e Espírito. Seu tratamento incluía medicina, dieta, massagens, exercícios físicos e práticas espirituais. Só mesmo quando tudo isto não resultava eficaz recorria à cirurgia.
Atribuem-lhe muitos aforismos famosos, tais como:

"Onde há amor, há humanidade". "Não há arte de cura sem amor”. “Nenhuma enfermidade é só divina ou só humana; todas têm sua própria natureza; cada pessoa apresenta sua própria causa. Assim, nenhuma enfermidade se produz sem causa natural". Deste último a medicina moderna adaptou o asserto: "Não há doenças; há doentes".

Hipócrates ensinou que a natureza é a grande curadora.

Antes de Hipócrates, os métodos gregos de cura estavam em sua infância e tinham caráter mágico-religioso. No tempo de Hipócrates assumiram feição médico-filosófica, levando em conta todos os fatores que pudessem favorecer a cura. Com o tempo, reduziram-se a uma ciência natural, mais especulativa, limitada aos próprios recursos e reduzida em sua eficácia.

Atualmente, o método de cura Rosacruz está na mesma condição da medicina anterior a Hipócrates: muitas pessoas podem testemunhar a eficiência da panaceia espiritual; seus efeitos são evidentes, mas não podem ser confirmados cientificamente, senão por comparação entre o estado anterior e posterior do paciente. Quer dizer: não se pode explicar praticamente.

A medicina, ao contrário, dá explicações teóricas para quase tudo, sendo mais facilmente aceita por aqueles que desejam evidências.

No entanto, o que vale é o resultado, mais completo e eficaz, de vez que abrange o ser humano integral, consolidando a harmonia física, emocional e mental sem os inconvenientes tóxicos.

O método de cura Rosacruz foi transmitido a Max Heindel pelos Irmãos Maiores e se baseia nos mais puros princípios da medicina natural, combinados com métodos espirituais de harmonização emocional e mental. Concilia, pois, os diversos aspectos: panaceia espiritual, astroterapia, dieta, homeopatia, osteopatia, tratamento quiroprático, etc..

O conceito Rosacruz de enfermidade, tal como se depreende da filosofia exposta por Max Heindel, deseja contribuir para que a medicina seja restituída a seu lugar exato, deixando seu limitado campo de experiência e combine todos os fatores solicitados pelo ser integral.

Em tal sentido, Max Heindel construiu em Mount Ecclesia um Sa­natório (casa para sanar ou curar), onde aplicava todos os recursos na recuperação completa dos enfermos

Em seu livro "Cartas aos Estudantes", carta n.°6, de junho de 1911 (veja aqui) último parágrafo, diz Max Heindel: "Denominamos "Mount Ecclesia" a este maravilhoso recanto da natureza. Iniciamos um fundo para construção de um edifício adequado, uma Escola de Cura, um Sanatório e, por fim, um Templo de Culto, uma "ecclesia" onde seja possível preparar a panaceia espiritual, que será aplicada pelos auxiliares devidamente capacitados, aos enfermos que, no mundo inteiro, nos solicitar ajuda".
Não pôde realizar esse objetivo. Durante toda a sua vida o desejou, lamentando não haver encontrado meios para realizá-lo, conforme exprime em a carta n." 24, de novembro de 1912 (veja aqui)

No entanto, formou-se um competente Departamento de Cura, com recurso astrológico, orientação sobre medicina natural (higiene, alimentação, tratamento, etc.) que tem atendido eficazmente a todo o mundo, membro ou não, logrando resultados auspiciosos.

O sonho de Max Heindel permanece como ideal embrionário, uma aspiração germinal. O que se realiza apenas no Templo etérico da Rosacruz, na Europa, será realidade em muitos Núcleos futuros, quando houver pessoas devidamente preparadas.

Os gritos de dor e angústia da humanidade carente, chegam à Sede Mundial, pelas milhares de cartas endereçadas ao Departamento de Cura. Também aqui no Brasil fazemos o que nos seja possível para atender a todos os necessitados, encaminhando à Sede Mundial ou oferecendo diretamente nossos recursos. De toda maneira, a ânsia concentrada dos enfermos, sua esperança em um método mais completo, estão criando condições para que os Irmãos Maiores realizem seu Ideal de cura, por meio dos homens e mulheres de boa vontade, sensíveis a esse sofrimento.

Max Heindel estava seguro de que um dia os Centros de Cura se estabelecerão sobre linhas científicas, explicando os recursos espirituais que emprega. Num futuro não muito distante teremos discípulos bem qualificados, movidos pelo amor altruísta, dignos de receberem e encaminharem a panaceia, aos lugares de cura estabelecidos com este propósito.

Ele nos encarece fazermos todo o possível para manter a unidade de esforço, no intento de curar. Insiste sobre a importância de realizarmos com todo o amor as reuniões semanais de cura, apesar de não podermos contar o mecanismo de ação. Aconselha o estudo dos recursos naturais e da astrologia médica, para sermos úteis a nossos semelhantes. Sobretudo as reuniões de cura geram a panaceia, para os Auxiliares Invisíveis realizarem amplamente sua tarefa.

Era firme crença de Max Heindel: "Qualquer movimento, incluindo a Fraternidade Rosacruz, deve reunir os três atributos divinos: "Sabedoria, Fortaleza e Beleza", para que cresça e perdure. Esses três atributos geraram a Ciência, a Religião e a Arte. Igualmente, cada estudante deve empenhar-se para conquistar e desenvolver em si estes três atributos, até certo grau, aplicando-os no trabalho de conjunto, para que a Fraternidade realize o que os Irmãos Maiores e seu mensageiro (Max Heindel) planejaram. Estudantes médicos devem procurar a conciliação dos recursos espirituais de cura (panaceia e recursos auxiliares, que atendam ao ser integral) com os descobrimentos da medicina moderna, que dê um caráter científico-espiritual ao serviço de Cura, tal como está previsto para a época de Aquário.

A tarefa é extremamente difícil, tendo em vista a resistência do materialismo e os interesses em jogo. Entretanto, cabe a cada um de nós realizar aos poucos esta sublime aspiração.
Publicado na revista Serviço ROSACRUZ de novembro de 1976

21 de set. de 2021

Com a Primavera

 
Com a Primavera (no Hemisfério Sul) começam a florescer - e nos mostrar vislumbres dos frutos - as sementes que nos meses anteriores plantamos nos vários planos que atuamos, como nos diz os Ensinamentos de Max Heindel no Ritual do Serviço do Equinócio de Setembro) Primavera no Hemisfério Sul):

“A mesma força germinadora que ativa a semente na terra e a prepara para produzir sua espécie em múltiplo, agita também a mente humana e promove as atividades altruístas que fazem o mundo melhor. ”

Conheça o Ritual do Serviço do Equinócio de Setembro (Primavera no Hemisfério sul) Veja Aqui

18 de set. de 2021

Por Que a Maioria dos Iniciados são Homens?

Pergunta: Se a mulher, que possui o corpo vital positivo, atingir um ponto evolutivo que lhe seja possível escolher um corpo, e ela escolher um corpo físico positivo; onde será contrabalançada a parte negativa?

Resposta: Para esclarecer melhor, precisamos compreender primeiramente que homem e mulher são designações que se aplicam apenas ao corpo físico, pois o sexo não se expressa da mesma maneira nos veículos superiores. Fixem firmem emente a ideia que o Espírito que se manifesta nos corpos de ambos os sexos, que chamamos masculino e feminino, é assexual. No entanto, duas características do Espírito são particularmente postas em evidência quando ele cria seus veículos: vontade e imaginação, positivo e negativo, e eles manifestam-se, respectivamente, como masculino e feminino quando o Espirito alcança o Mundo Físico e constrói o corpo no qual atuará sob a orientação divina das Hierarquias Criadoras . O Espírito expressa alternadamente vontade e imaginação, para que se desenvolvam igualmente ao manifestarem-se em corpos masculino e femininos. O equilíbrio, sendo imperfeito, é restabelecido ao receber um corpo físico positivo juntamente com um corpo vital negativo, e vice-versa. 

Finalmente, quando chega o momento em que o Espírito - após ter passado pela escola da vida aprendendo suas lições - atinge um grau de evolução tão elevado que consegue um perfeito autocontrole ou harmonia, torna-se desnecessário garantir o pleno equilíbrio através das polaridades opostas no corpo. Então, o Espírito pode e toma para si um corpo vital positivo e um corpo denso positivo. Isto acontece com a maioria dos iniciados, exceto quando, por razões especiais, eles acham vantajoso usar um corpo denso negativo. No entanto, em todo iniciado o corpo vital é sempre positivamente polarizado, pois isso o torna um instrumento melhor e mais receptivo às vibrações oriundas do Espírito de Vida, do qual o Corpo Vital é uma contraparte.
PERGUNTA N.°71 do livro Filosofia Rosacruz em Perguntas e Respostas, Vol II - Max Heindel

1 de set. de 2021

A Consagração do Símbolo Rosacruz (Um pouco de história)

por Jonas Taucci
Evidente que ao passar das décadas, a rosa branca e as sete vermelhas do Símbolo Rosacruz do Centro Rosacruz de Santo André, desbotaram e envelheceram. Haviam transcorridos 33 anos (3X3=9, o número da humanidade) desde a fundação deste Centro, em 1955.

No ano de 1988 estas rosas foram substituídas: uma senhora – profissional na área artística e plástica, residente na cidade de São Caetano do Sul foi consultada para a confecção. Esta senhora foi levada ao Templo do Centro Rosacruz de Santo André, para observar, tomar medidas etc. das rosas já envelhecidas; teria que haver perfeição nos seus tamanhos e cores. Ao ser indagada pelo preço que cobraria pelas novas, disse:

- Sei que estas rosas farão parte do símbolo Rosacruz, não cobrarei absolutamente nada por isso.

Desta forma, no final de janeiro do ano 1988 (Sol transitando por Aquário), e em uma Data de Cura, houve no Centro Rosacruz de Santo André uma reunião de CONSAGRAÇÃO AO SÍMBOLO ROSACRUZ, já com a rosa branca e as sete rosas vermelhas substituídas.

Convidados, muitos probacionistas, estudantes e amigos compareceram a este importante acontecimento, sendo executado ao órgão pela irmã Maria Lázara Franzini e cantado por todos os presentes, os Hinos Rosacruz de Abertura, Encerramento e signo astrológico do mês (Aquário).  

Nesta reunião, trechos da Lição Mensal do Estudante (O Símbolo Rosacruz, de fevereiro, ano 1.960) de nossa Sede Mundial (Oceanside), foi lida pelo probacionista Armanda Tempera:

Os símbolos divinos que foram dados a humanidade de tempos em tempos, falam a este Tribunal da Verdade que está no interior de nossos corações, despertando nossa consciência para ideais divinos que estão inteiramente além das palavras. Portanto, o simbolismo possui um papel de enorme importância em nossa evolução, sendo uma necessidade primordial para nosso desenvolvimento espiritual".


“O Símbolo Rosacruz é um destes divinos símbolos”.

O fiel aspirante Rosacruz é sabedor da importância do oficiamento destes sacros Rituais, e os realiza na quietude de seu lar ou em algum Centro Rosacruz.

Realizado continuamente – e vivendo a vida de acordo com os mesmos – nos alavancará a um progresso espiritual enorme (“Se andarmos na Luz, como Deus está na Luz, teremos comunhão uns com os outros” – Epístola I de João – 01:07).

Desta forma, o princípio Crístico de Amor, subjugará nosso egoísmo, culto a personalidade e nossos traços materialistas.

* * * * * * * * *
No próximo dia 22 de setembro deste ano 2.021, às 16h23m (horário de Brasília) o Sol ingressa no signo Zodiacal de Libra, (ouça aqui) assinalando que Cristo está na atmosfera de nosso planeta, realizando sua visita anual que culminará no Natal, quando alcançará o centro da Terra.

Nossa Sede Mundial (Oceanside), nos orienta a oficiarmos o RITUAL DO EQUINÓCIO DE  SETEMBRO, no dia 21 deste mês. (Baixe em PDF na figura abaixo)

Sintonizemo-nos com este importante evento cósmico, ressaltando a importância de vivê-los.